Terça-feira, 07 de Abril de 2020
SAUDOSISMO NO FUTEBOL, COM ANTONIO VIDAL

SAUDOSISMO

Publicada em 28/02/20 às 09:10h - 246 visualizações

por Blog do Carlindo Medeiros


Compartilhe
   

Link da Notícia:



















   Ademir da Guia                             Sociedade Esportiva Palmeiras

        Início da Carreira                                       Categoria de Base Consagração 

          C:\Users\Casa\Desktop\Sem título.png                                                 C:\Users\Casa\Desktop\Bangu.png                                          http://www.palmeiras.com.br/public/upload/imagem/times/imagem_20_original.png

          Ceres F. C.                                           Bangu A.C. S.E. Palmeiras


Quando menino gostava de praticar natação; chegou a conquistar troféus nas piscinas do Bangu A.C. Clube. Filho de Domingos da Guia e sobrinho de Ladislau da Guia, jogadores integrantes da história gloriosa do Bangu, Ademir da Guia já trazia o DNA da família. Aos 10 anos começou a jogar futebol no Ceres, clube também do Bairro, e posteriormente foi encaminhado às Categorias de base do Bangu A.C, onde se formou como atleta e jogou as primeiras partidas no profissional. Chegou em São Paulo em 1961 contratado pela Sociedade Esportiva Palmeiras onde permaneceu até encerrar a carreira em 1977.

Em 1961, Dom Freitas Solich técnico do Flamengo, dirigindo-se a um dos diretores do Palmeiras que acabara de comprar Ademir da Guia, fez o seguinte comentário: “O preço que vocês pagaram não é o que vale só uma das pernas dele!”. Foi um comentário pertinente se levarmos em consideração que o Palmeiras dos anos 60 era denominado academia, em função de seus jogos não serem meras partidas de futebol, mas aulas ministradas e orquestradas pelo craque Ademir da Guia, “O Divino”.

Injustiçado na seleção Brasileira, Ademir foi convocado apenas 14 vezes durante sua carreira. Na copa do mundo de 1974, sediada na Alemanha Ocidental, foi convocado por Zagalo, sendo que na maioria dos jogos não figurava nem no banco de reservas. Só entrou como         titular no jogo contra a Polônia, que decidia o 3º lugar, e ainda foi substituído no 2º tempo, embora estivesse bem na partida. Logo após sua saída, o Lendário Lato, ponta esquerda adversário, fez o gol que colocou a Polônia em 3º lugar.

C:\Users\Casa\Desktop\Bundesarchiv_Bild_183-N0716-0305,_Fußball-WM,_VR_Polen_-_Brasilien_1-0.jpg

Ademir da Guia, o terceiro, da direita para a esquerda, na Seleção Brasileira que decidiu o terceiro lugar contra a Polônia na Copa de 1974.

Para muitos era um jogador lento, porém sua dinâmica de jogo parecia com um maestro regendo uma orquestra de violinos, tal a leveza do Ademir conduzindo o Palmeiras. Lindo de se ver! 

O poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto, que gostava de futebol e chegou a jogar no juvenil do Santa Cruz de Recife, onde foi campeão em 1935, escreveu um poema em homenagem ao craque palmeirense.


Ademir da Guia (João Cabral de Melo Neto)


Ademir impõe com seu jogo

o ritmo do chumbo (e o peso),

da lesma, da câmara lenta,

do homem dentro do pesadelo.


Ritmo líquido se infiltrando.

no adversário, grosso, de dentro,

impondo-lhe o que ele deseja,

mandando nele, apodrecendo-o.


Ritmo morno, de andar na areia,

de água doente de alagados,

entorpecendo e então atando

o mais inquieto adversário.

Frases dele e sobre ele:

“Quem tem que correr é a bola. Eu tenho pulmão, ela não”. (Ademir da Guia)

 “Ademir da Guia tem o nome, o sobrenome e a bola do craque”. (Armando Nogueira, jornalista e cronista esportivo)

 “Sem Ademir da Guia, o Palmeiras é menos Palmeiras”.  (Rubens Minele, técnico de futebol)

 “Marcar Ademir da Guia é excessivamente cansativo. Corro o dobro, tendo a impressão que ando. Ele põe o ritmo que quer no jogo. Tem táticas próprias e deixar o adversário exausto e quase sem raciocínio é uma delas”. (Clodoaldo, ex volante do Santos)

“Às vezes Deus brinca com a gente, caso a gente faça malcriação. Aí põe a gente para marcar Ademir da Guia e passamos a noite em claro, antes e depois do jogo”. (Orlando, ex zagueiro do Vasco)

Atuação de Ademir da Guia na Política Paulistana

Anos depois de encerrar a carreira de desportista, foi eleito vereador da Cidade de São Paulo em 2004. Concorreu, sem sucesso, a uma vaga para Deputado Estadual nas eleições de São Paulo em 2014.

C:\Users\Casa\Desktop\Sem título 2.png

Hoje Ademir vive e mora na Capital Paulista e irá completar 78 anos em 03 de abril de 2020.

Coluna do Vidal

@carlindomc,
#carlindomc, 



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 6199952-3515

Visitas: 7574542
Usuários Online: 233
Copyright (c) 2020 - Blog do Carlindo Medeiros