Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020
As Rapidinhas com o Carlindo Medeiros

O 34º caso de Feminicídio só este ano no DF, um homem mata mulher no bairro Sudoeste

Publicada em 24/12/19 às 08:13h - 559 visualizações

por Blog do Carlindo Medeiros


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Blog do Carlindo Medeiros)





















Foto do Arquivo pessoal

Uma Mulher foi encontrada morta pela filha no apartamento em que vivia, na Quadra 2 do Sudoeste.

Segundo informações preliminares, a vítima tem 49 anos e foi encontrada morta pela filha.

É mais uma mulher pode ter sido vítima de feminicídio no Distrito Federal. Segundo informações preliminares, a vítima tem 49 anos. O crime aconteceu na tarde desta segunda-feira (23/12), na QRSW 2 do Sudoeste, na área conhecida como Sudoeste Econômico. O corpo de Luciana de Melo Ferreira foi encontrado pela filha dela. Se este caso for comunicado como feminicídio, será o 34º registrado DF em 2019, o maior número desde que os assassinatos de mulheres em razão de gênero passaram a ser tipificados como tal.

Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF), a suspeita de  feminicídio existe "por conta das circunstâncias em que o corpo foi encontrado, com as perfurações no peito, de acordo com os policiais da área". 

Policiais do 7º Batalhão da Polícia Militar receberam o chamado da filha da vítima por volta das 16h. Segundo o comandante-adjunto, o segundo-sargento Tarciso, quando a equipe chegou ao local percebeu que a mulher estava morta há alguns dias, pelo estado do corpo. "Ela foi golpeada no peito por um objeto perfuro-cortante. Quem fez isso a atacou, trancou o apartamento e saiu", resumiu o militar. 

 Uma equipe da Polícia Civil está no local no crime. Os peritos entraram no apartamento por volta das 19h. Horas antes de o corpo ser descoberto no Sudoeste, a 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) anunciou para a imprensa que concluiu as investigações da morte de Pedrolina da Silva, a 33ª vítima de feminicídio de 2019 na capital.

 

O caso foi elucidado com uma reviravolta. 

 PARA SABER MAIS 

O que é feminicídio?

Reconhecido como crime hediondo desde 2015, o feminicídio consiste no assassinato de mulheres por razão de gênero. Conhecer as nuances e as características que envolvem esse tipo de violação, é fundamental para ter um enfrentamento efetivo e evitar que existam novas vítimas.

Você sabe quais são os tipos de violência contra a mulher?

 Nem todos sabem, mas a violência contra a mulher vai muito além de agressões, estupros e assassinatos. A Lei Maria da Penha sancionada em 2006, classifica em cinco categorias os tipos de abuso cometido contra o sexo feminino, são eles: violência física, violência moral, violência sexual, violência patrimonial e violência psicológica.

Além das violências físicas mais conhecidas como as agressões, estão também enquadradas na primeira categoria ações como atirar objetos com a intenção de machucar a mulher, apertar os braços, sacudi-la e segurá-la com força.

A violência moral está atrelada ao constrangimento que o agressor pode causar a vítima como expor a vida íntima do casal para outras pessoas e o vazamento de fotos íntimas na Internet. Calúnias, difamação ou injúria também fazem parte desse tipo de violência.

Diferentemente do que muitos podem pensar, a violência sexual não se resume a forçar uma relação íntima. Obrigar a mulher a fazer atos que a causem desconforto, impedi-la de usar métodos contraceptivos, ou a abortar, também são considerados formas de opressão.

Controlar os bens, guardar ou tirar dinheiro sem autorização da mesma, e causar danos de propósito em objetos são alguns exemplos de violência patrimonial.

Por fim, a violência psicológica consiste em diminuir a autoestima da mulher, sendo com humilhações, xingamentos, desvalorização moral que implicam em violência emocional. Tirar direitos de decisão e restringir liberdade também fazem parte da última categoria.

Fonte: Agência Patrícia Galvão

ONDE PEDIR AJUDA?

Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República

Telefone: 180 (disque-denúncia)

Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)

» De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h

» Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia, Planaltina

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)

» Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul

(61) 3207-6172

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos

Telefone: 100

Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar

Telefones: (61) 3910-1349 / (61) 3910-1350

Fonte: SSP-DF




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 6199952-3515

Visitas: 7489564
Usuários Online: 231
Copyright (c) 2020 - Blog do Carlindo Medeiros - Carlindo Medeiros, Advogado, Professor de Direito, Jornalista, Formado em Ciência da Computação, Pós-graduado-MBA e Curso de Extensão em Docência para ensino da Matemática. Trazendo informações com Dicas de Direito importantes para o cidadão.