Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
NOTICIAS DO BRASIL

Estudante espancado tem alta: 'Está confuso, sem compreender o que houve'

Publicada em 09/07/19 às 09:08h - 15 visualizações

por PORTAL DE NOTÍCIAS POLICIAIS, BLOG DO CARLINDO MEDEIROS


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: PORTAL DE NOTÍCIAS POLICIAIS, BLOG DO CARLINDO MEDEIROS)
  






















Pai contou ainda que não acredita que jovem vai prestar depoimento essa semana

Espancado após uma festa na área verde do Othon, na madrugada da última quarta-feira (3), o estudante de Direito e aluno do Núcleo Preparatório Oficiais da Reserva do Exército (NPOR) Cayan Lima Silva Santana, 19 anos, recebeu alta hospitalar na tarde desta segunda-feira (8), por volta das 17h30. Cayan estava internado no Hospital do Exército, em Brotas.O pai da vítima, o advogado Ary Santana, afirmou que, mesmo após ter recebido alta hospitalar, o estudante ainda está muito debilitado e deve fazer novos exames nas próximas semanas.  “Ele vai ficar afastado das atividades militares e acadêmicas por 30 dias. Ainda está com a visão turva, um ponto de sangramento na parte traseira da cabeça, uma lesão no baço, o nariz quebrado e edema no pulmão. Ele está um pouco confuso, sem compreender o que houve”, relatou.

Por ainda estar confuso, segundo o pai, Cayan não consegue compreender como foi agredido. Por conta disso, deve adiar o depoimento o que deve fazer com que ele ainda demore a dar depoimento  à delegada Lúcia Jansen, titular da 7ª Delegacia (Rio Vermelho), unidade que apura o caso.

“Eu vejo que é impossível ele ser ouvido ainda nesta semana. Ele só deve falar com a delegada na semana que vem”, explicou Ary. De acordo com o promotor que cuida do caso, Davi Gallo, o jovem é o único envolvido no caso que ainda precisa ser ouvido pela delegada da  7ª Delegacia (Rio Vermelho), Lúcia Jansen.

Cayan ainda deve permanecer em Salvador, onde mora, até o dia 17 de julho para acompanhamento médico. Após a data, ele vai viajar para a cidade de Jequié, no sudoeste do estado, onde mora a família.

A alta hospitalar de Cayan é comemorada pelo seu pai. “É uma sensação indescritível, pra quem viu ele na condição que estava, uma condição indigna. Agora, ter nosso filho em casa é o maior prazer que poderia ter sido dado”, disse.

O estudante de Direito foi agredido ao deixar a festa de música eletrônica Hype, realizada na Área Verde do Othon, em Ondina. O graduando em Arquitetura Gabriel Louzado, 19, também sofreu agressões dentro do evento. Ele desmaiou após ter sido alvo de socos e pontapés de um grupo de seis pessoas. O jovem foi atendido no Hospital Geral do Estado (HGE), de onde foi liberado na manhã seguinte.

Investigação
De acordo com com as testemunhas da agressão, a briga começou após um amigo de Cayan ter se envolvido com a ex-namorada de um dos agressores. A confusão teria se estendido para o lado de fora do evento, onde segundo os advogados da vítima, Cayan continuou sendo agredido mesmo depois de desmaiar na porta da festa. Cinco envolvidos no caso prestaram esclarecimentos à delegada na última quinta-feira (4).

Guilherme Machado, um dos suspeitos de ter cometido o crime, negou as acusações durante depoimento prestado quarta-feira (3). A delegada Lúcia Jansen afirmou, em entrevista à TV Bahia, que o suspeito relatou durante o depoimento que os amigos de Cayan teriam agredido um dos seus amigos, que é menor de idade, durante a festa. O possível agressor também foi submetido a exame de corpo de delito e orientado a fazer outros exames médicos, como ressonância magnética, por apresentar lesões corporais.

* Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

https://www.correio24horas.com.br/




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário






Nosso Whatsapp

 6199952-3515

Visitas: 6834734
Usuários Online: 150
Copyright (c) 2019 - PORTAL DE NOTÍCIAS POLICIAIS, BLOG DO CARLINDO MEDEIROS