Protagonismo feminino e Maestro Sabiá

No quinto episódio da série, Festival Viola Caipira na Rota do Ouro Goiano apresenta Karen Parreira, primeira mulher a tocar no projeto, e o versátil Fábio Miranda, neste sábado (7/11), a partir das 20h, em exibição gratuita na internet

O Festival Viola Caipira na Rota do Ouro Goiano abre passagem para o protagonismo feminino na música de viola caipira e para o virtuosismo aliado à cultura popular. Entre os artistas selecionados, a violeira e cantora Karen Parreira será a primeira mulher a se apresentar no projeto, neste sábado (7/11), a partir das 20h, no canal do projeto CORDAS DA VIDA no YouTube. A outra atração da noite ficará a cargo do acadêmico Fábio Miranda, que assume o papel de Maestro Sabiá para exibir obras de autores consagrados em arranjos refinados. 

Produtora cultural, compositora, cantora e violeira, Karen Parreira tem 13 anos de carreira artística,  com três CDs e e um DVD gravados. Ao longo da trajetória, conquistou prêmios em concursos e festivais de música pelo Brasil, com o Violeira Rose Abrão, realizado há mais de 30 anos em Barretos (SP); o Festival Nacional de Violeiros de Poxoréu (MT), um dos maiores do país; o Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira; e o Prêmio Teixeirinha de "Mestre"de Cultura Popular, promovido pelo Ministério da Cidadania e Secretaria Especial da Cultura do governo federal. 


No repertório que apresentará neste sábado, Karen Parreira selecionou composições autorais, como "Vai passar" e "Nem sempre", além de obras de autores diversos, como "Olhos negros", de Zé Mulato e Luciana, "Colcha de retalhos", de Raul Torres, e "Vivendo no Sertão", de João Mulato e João Miranda.


Completando a programação do quinto episódio do Festival Viola Caipira na Rota do Ouro Goiano, Fábio Miranda encarna o Maestro Sabiá, que convida o público a conhecer causos cheios de "verdades que não valem nada" e "mentiras muito bem contadas", ao som de modas autorais, além de canções populares consagradas, como "Assum Preto", "Asa Branca", "Sabiá", "Canarinho Prisioneiro", "Majestade, o Sabiá", entre outras. 

Fábio Miranda tem três discos autorais lançados: "Caravana Solidão", "Chamamento" e "Nonada" (este último integrando a banda Judas). Teve formação técnica em viola caipira na Escola de Música de Brasília. Apresenta-se em diversas formações, como Babel, Caravana Solidão, Teia de Arame, Travessia, Fama Duo e Passarim da Capital. Também integra a Orquestra Filarmônica de Violas, de Campinas (SP). Graduado em Artes Cênicas pela UnB, criou e participou de montagens premiadas em festivais de teatro, como "A porca faz anos" e "Malva rosa". Como pesquisador, desenvolveu mestrado na área de Educação Musical pela ECA-USP, com o projeto "Roda de viola: jogos musicais no ensino coletivo da viola caipira". Como arte-educador, trabalha com ensino coletivo da viola caipira e outras vivências musicais com pessoas de todas as idades. Formou a orquestra Roda de Viola, em Brasília (DF), e a Orquestra de Viola de Franco da Rocha (SP), onde trabalha atualmente. Nessa mesma cidade, coordena o grupo sociocultural de idosas cantadoras Andorinhas do Lago Azul. Integra ainda a rede de violeiros que organizam o "Violada: circuito autoral das violas brasileiras", que promove artistas nacionais.

O festival Viola Caipira na Rota do Ouro Goiano teve quatro meses de produção, desde a composição da equipe técnica até a seleção artística, em um processo que contou com 65 inscrições de várias partes do país. Ao todo, o evento terá 16 atrações artísticas, distribuídas ao longo dos meses de outubro e novembro. Cada atração artística selecionada receberá cachê de R$ 2.158.

“A resposta do público tem sido bastante satisfatória, tendo em vista nosso objetivo de atuar na formação de uma audiência para a música de viola caipira. Após quatro episódios do festival, alcançamos quase 2 mil visualizações e 3 mil inscritos no canal do projeto. Aparentemente, são números ainda modestos, mas que se multiplicam a cada dia, pois o conteúdo permanece disponível como legado da iniciativa”, explica o produtor e músico Mariano, idealizador do festival patrocinado pelo Fundo de Arte e Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura do Governo de Goiás.

“O projeto contempla todos os gêneros musicais, tendo a viola caipira como instrumento de destaque. Nossa intenção é prestigiar músicos consagrados e revelar talentos de diferentes vertentes. Além disso,  graças às plataformas virtuais, nesses tempos de pandemia, mantemos a arte viva, colaborando com uma importante cadeia produtiva, que contempla artistas, produtores, técnicos de som, iluminadores, entre outros profissionais”, completa Mariano.

O projeto CORDAS DA VIDA tem experiência nesse tipo de proposta cultural. Nos últimos anos, em Goiás e também no Distrito Federal, executou iniciativas com séries de pocket shows de acesso gratuito ao público, com a participação de vários grupos artísticos. Os registros dessas apresentações estão disponíveis em canal no YouTube e também em fanpage no Facebook. 

SERVIÇO
Viola Caipira na Rota do Ouro Goiano
Quando: de 10 de outubro a 28 de novembro
Horário: sempre às 20h
Programação:
1º episódio - 10/10
Galvan e Galvãozinho (GO)
Pedro Vaz (DF)
2 º episódio - 17/10
Anderson Martins (MG)
Henrique Octávio e Eduardo (MG)
3 º episódio - 24/10
André Moraes e César Petená (SP)
Os Mineiros de Urucuia (MG)
4 º episódio - 31/10
Caio de Souza (SP)
Chico Nogueira (GO)
5 º episódio - 7/11
Fábio Miranda (SP)
Karen Parreira (GO)
6 º episódio - 14/11
Viola Progressiva (DF)
Zé do Ouro e Bigaton (SP)
7 º episódio - 21/11
Cacai Nunes (DF)
Dayane Reys (DF)
8 º episódio - 28/11
Avaré e Jataí (GO)
Francis Rosa (SP)

Direção geral: Mariano (61-9-9677-5002)
Assessoria de imprensa: Fernando Brito (61-9-9951-9375) 
Créditos das fotos: LR Fernandes/Divulgação.
Postado por Carlindo Medeiros Jornalista