Fundação: 10 de maio de 1973.


Resumo histórico: A cidade de Chapecó já possuía alguns clubes amadores: Independente F.C.,  Atlético Clube de Chapecó, Guairacá F.C., dentre outros. O futebol estava praticamente adormecido e desmotivado dentro do município. Foi então que alguns desportistas lançaram a ideia de fundar uma nova agremiação de futebol profissional. Eram eles Alvadir Pelisser, Heitor Pasqualotto e Altair Zanela, representantes do Independente; Lotário Emmich e Vicente Delair, ligados ao Clube Atlético Chapecoense. Eles se reuniram no dia 10 de maio de 1973, na loja de confecção do Heitor Pasqualotto, e foi proposta a fusão dos clubes Atlético e Independente.  Foi assim que surgiu a Associação Chapecoense de Futebol. A ideia ganhou apoio dos empresários da cidade e a adesão de Plínio e Nês, influentes políticos da região que de pronto ofereceram apoio incondicional para erguer o novo clube.


Primeira Diretoria:

Cargo

Nome

Presidente

Lotário Immich

Vice-Presidente

Gomercindo L. Putti

Secretário

Jair Antunes de Silva

2º Secretário

Altair Zanela

Tesoureiro

Alvadir Pelliser

2º Tesoureiro

Paulo Spagnolo

Diretor Esportivo

Vicente Delair


Localização: A Associação de Futebol Chapecoense está sediada no interior do estado de Santa Catarina, considerada a Capital brasileira da agroindústria e do turismo de negócios. Trata-se de uma cidade moderna e totalmente planejada. Seu traçado arquitetônico tem a forma de um tabuleiro. Dentre os principais pontos turísticos, encontramos “O Desbravador”, cartão de visita e ponto de identificação da cidade. Foi inaugurado em 25 de agosto de 1981, com o objetivo de homenagear os primeiros desbravadores que colonizaram e construíram a cidade de Chapecó. Criado pelo artista plástico Paulo de Siqueira, mostra a figura de um gaúcho empunhando um machado, simbolizando o trabalho, e a mão esquerda segura o ramo de louro que representa a conquista e a vitória. O monumento possui 14 m de altura, 5,70 m de largura e pesa 9 toneladas. Na parte inferior, base da estátua, está o Memorial Paulo Siqueira.

C:\Users\Casa\Desktop\Chapeco-SantaCatarina-Brazil--Statue_Desbravador.JPG

O Desbravador


C:\Users\Vidal\Desktop\Chapeco.jpg

Cidade de Chapeco – Santa Catarina



Estádio: A Associação de Futebol Chapecoense manda seus jogos na Arena Condá, cujo projeto de construção foi lançado em 09 de outubro de 2007. O Estádio foi inaugurado em 01 de fevereiro de 2009, com o jogo Chapecoense 4 X 1 Brusque. A praça de esportes tem atualmente capacidade para 9.000 pessoas.


C:\Users\Casa\Desktop\Escudo_chape2016.svg.png4 X 1  C:\Users\Casa\Desktop\Brusque_FC_-_SC.svg.png

C:\Users\Casa\Desktop\Arena_Condá_Novo_gramado.jpg

Arena Condá


Trajetória: Em 1977 a Chapecoense fez uma brilhante campanha no Campeonato Estadual. Participou de 46 jogos, com 26 vitórias, 12 empates e 8 derrotas. Chegou à final contra o Avaí, vencendo-o por 1 X 0, conquistando o seu 1º Título Catarinense. A conquista proporcionou o direito de figurar na elite do futebol brasileiro. Disputou a Série A do Brasileirão nas temporadas de 1978 e 1979,.


Foguetório: Em 12 de julho de 1962, véspera da final  do Campeonato Catarinense, houve um foguetório. A equipe adversária, o Joinville, hospedou- se no melhor hotel do oeste catarinense, localizado no centro de Chapecó. Durante a noite, um grupo de torcedores da Chapecoense ficou soltando fogos de artifícios nas cercanias do hotel, com o intuito de não deixar a delegação rival dormir. A polícia foi acionada e ficou dando voltas no local; quando ia embora o foguetório continuava. Na manhã seguinte, dia do jogo final, o então Presidente do Joinville, Sr. Vilson Florêncio, decidiu deixar a cidade e não ir a campo, alegando falta de condições emocionais do time e por temer a segurança física de seus atletas. O árbitro da partida, Sr. Dalmo Bozzano, declarou a equipe da Chapecoense como vencedora por WO. A Direção do Joinville recorreu da decisão do árbitro, solicitando a realização de um novo jogo em campo neutro. Depois de uma série de batalhas judiciais, a nova decisão foi marcada para 18 de dezembro de 1962. A Chapecoense tinha perdido a primeira partida por 2 X 0 e venceu a segunda por 1 X 0, provocando uma prorrogação,  A chapecoense acabou vencendo por 2 X 0,  ficando com a taça e comemorando o seu 2º Título Estadual. 


Decadência: A partir de 2001, a Associação de Futebol Chapecoense enfrentou a sua primeira crise. Tudo começou quando a equipe ficou na última colocação do Estadual e teve que disputar com os últimos colocados uma seletiva  para se manter na Série A do Campeonato Catarinense. A final da Seletiva foi contra o Kindermann e o empate de 1 X 1 no tempo normal e 1 X 1 na prorrogação manteve a Chapecoense na Série A do Campeonato Estadual. Por motivo de dívidas irresgatáveis, a Diretoria apelou para um velho artifício jurídico amparado na legislação brasileira: para se manter no futebol fez uma parceria com o Kindermann, utilizando um novo nome e uma nova personalidade Jurídica, passando a se chamar “Associação Chapecoense Kindermann/Mastervet”. Com isso, o Clube preservou a identidade no futebol como produto mercadológico e livrou-se das dívidas acumuladas ao longo dos anos. A parceria com o Kindermann durou somente até 2004, mas foi a base para o ressurgimento da Associação de Futebol Chapecoense no cenário futebolístico estadual.  


Sob nova direção: Em 2005, após novos tropeços, surgiu uma nova Direção, que era comandada por diversos empresários do município. Os executivos assumiram a Chapecoense com o objetivo de reerguer o clube. Gestões anteriores acumularam uma dívida de 1,5 milhões, deixando o clube à beira da falência. Os novos mandatários passaram a destinar 30% de toda a arrecadação do clube para iniciar o pagamento das dívidas. Em 2007, ainda um pouco desacreditada, fez um campeonato irretocável, conquistando o seu terceiro título catarinense. Chegou à final contra o Criciúma; venceu o jogo de ida em Chapecó por 1 X 0 e empatou por 2 X 2 o jogo de volta na cidade de Criciúma.


Volta às competições nacionais: Em 2009 foi vice-campeã catarinense, e ao término do Estadual preparou-se para voltar às competições nacionais. Fez algumas contratações pontuais e entrou como favorita no Grupo A-9 da Série D do Campeonato Brasileiro. O Grupo era composto por Londrina do Paraná, Ypiranga de Erechim do Rio Grande do sul e Naviraiense do Mato Grosso do Sul. Foi a 1ª colocada do grupo, passando para a próxima fase. Na 2ª Fase, a Chapecoense venceu os confrontos contra o Corinthians do Paraná e, já classificada, administrou o resultado contra o Londrina, também no Paraná. Na 3ª fase, já no sistema mata/mata, eliminou a equipe do Araguaia do Mato Grosso. A maior dificuldade encontrada pela Chapecoense foi a longa viagem de ônibus para enfrentar o time mato-grossense. No jogo de ida, perdeu por 1 X 0 dentro de casa. No jogo de volta, venceu por 2 X 1. Pelo critério de gol fora de casa, avançou na competição, conquistando o acesso à Série C.


Contraste: Em 2012 foi muito mal no Campeonato Estadual e só não foi rebaixada porque o Atlético Ainchinger, da cidade de Ibirama, pediu licenciamento do futebol profissional. Em contrapartida, chegou às quartas de final na Série C do Brasileiro, conseguindo a promoção à Série B.


Arrancada meteórica: Em 2013, quando completou quarenta anos de existência, a Associação de Futebol Chapecoense iniciou a temporada com uma performance espetacular: ficando entre as equipes semifinalistas da Série B do Brasileiro, conquistou o acesso inédito à elite do futebol brasileiro, onde permanece até os dias de hoje.


Competição internacional: Em 2015 participou da Copa Sul-Americana, onde fez os seus primeiros jogos internacionais. Enfrentou o Liberdad do Paraguai, empatando por 1 X 1 no jogo de ida e repetindo o resultado no jogo de volta. A partida foi decidida na disputa de pênaltis e  a Chapecoense venceu por 5 X 3, avançando para as quartas de final, onde foi eliminada pelo poderoso River Plate da Argentina. 


1º Título internacional: Em 2016 participou pela 2ª vez da Copa Sul-Americana, chegando à final que seria disputada contra o Atlético Nacional da Colômbia. Na viagem para a Cidade de Medellin, onde seria disputado o 1º jogo, aconteceu um trágico acidente aéreo. O Avião que transportava a Delegação da Chapecoense caiu antes de chegar ao destino. O acidente chocou o mundo do Futebol. Infelizmente somente cinco pessoas sobreviveram ao acidente: os jogadores Jackson Follmann, Neto  e Alan Ruschel, o jornalista Rafael Henzel, uma aeromoça e um técnico da tripulação.


C:\Users\Casa\Desktop\120px-Atletico_Nacional_logo.pngAtitude exemplar: A Diretoria do Atlético Nacional da Colômbia, sensibilizada com o acontecimento, antecipou-se à decisão da Confederação Sul-Americana de Futebol – Conmebol, que poderia decidir por marcar uma nova partida ou considerar as duas equipes campeãs. O Atlético Nacional abriu mão da disputa do título e, numa atitude de extrema grandeza, declarou a Associação de Futebol Chapecoense como Campeã da Copa Sul-Americana de 2016, o que foi aceito e homologado pela Conmebol.  Por essa demonstração de solidariedade, em 09  janeiro de 2017, na Cidade de Zurique na Suíça, o Atlético Nacional da Colômbia recebeu merecidamente o “Prêmio Fair Play da FIFA”.

Estatística:

Participações Estaduais

Competição

Ano

Campeonato Catarinense Série “A”

47

1974, 1975, 1976, 1977, 1978, 1979, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984, 1985, 1986, 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020.


Participações Nacionais

Competição

Ano

Brasileiro Série A

08

1978, 1979, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019.

Brasileiro Série B

02

1980 e 2013.

Brasileiro Série C

08

1992, 1996, 1997, 1998, 2007, 2010, 2011 e 2012.

Brasileiro Série D

01

2009.

Copa do Brasil

09

2008, 2010, 2012, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019.



Participação Internacional

Competição

Ano

Copa Sul Americana

03

2015, 2016 e 2019.

Copa Libertadores

02

2017 e 2018.


Principais Títulos

Competição

Ano

Copa Sul-Americana

01

2016.

Campeonato Catarinense Série A

07

1977, 1996, 2007, 2011, 2016, 2017 e 2020.

Taça Santa Catarina

02

1979 e 2014.

Copa Santa Catarina

01

2002.


Participação da Chapecoense  em competições no ano de 2020.:

  1. Campeonato Catarinense.

  2. Campeonato Brasileiro Série B.

  3. Copa do Brasil.


Coluna do Vidal