AGÊNCIA BRASÍLIA

Com a mesma estrutura desde 2004, a Estação de Tratamento do Gama ganhou melhorias que beneficiam toda a população | Foto: Divulgação/Caesb

Novo sistema reduzirá custos operacionais, de manutenção e de energia elétrica. Investimentos ultrapassam R$ 1 milhão.

Já se encontra ativo o novo sistema operacional da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Gama, que atende a uma população de aproximadamente 135 mil habitantes. A estrutura, que se mantinha a mesma desde que a estação foi inaugurada, em 2004, ganhou modernos equipamentos, instalados pela Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), e agora passa a operar com mais agilidade e economia de energia.  Os investimentos foram de R$ 1,335 milhão, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

R$ 1,335 milhãoRecursos do BID investidos nas obras da Caesb

O sistema implantado inclui tubulações de distribuição de ar, ramais, grades e suportes, tudo produzido em aço inoxidável, mais durável que o sistema anterior, que era de PVC. A Caesb também reformou os reatores e os sistemas de raspagem usados no tratamento do esgoto, instalando ainda novos equipamentos de medição.

“Isso vai garantir maior eficiência na transferência de oxigênio para os microrganismos presentes nos reatores, aumentando a eficácia de tratamento e a qualidade dos esgotos tratados”, explica a superintendente operação e tratamento de esgoto da Caesb, Ana Maria Mota.

Maior vida útil

Segundo o superintendente de manutenção industrial da companhia, André Ricardo Brasileiro, a modernização da ETE Gama vai permitir uma vida útil maior dos reatores. “Vamos otimizar o consumo de energia elétrica”, reforça. “Foram instalados novos misturadores de superfície para melhorar o sistema dentro do reator. Isso vai facilitar o contato da biomassa com os esgotos em tratamento”.

As melhorias nas ETEs do DF fazem parte de uma série de investimentos da Caesb para garantir mais qualidade de vida à população. A modernização do sistema de aeração também contempla serviços que estão sendo empreendidos nas ETEs Melchior, Brasília Sul e Brasília Norte.

São obras que, conforme destaca o diretor de operação e manutenção da Companhia, Carlos Eduardo Borges Pereira, trazem benefícios a todos. “Sem dúvida alguma, elas são um divisor de águas no tratamento de esgotos no Distrito Federal”, avalia. “Essas melhorias estão alinhadas com a missão da companhia de desenvolver e implementar soluções e gestão em saneamento ambiental, contribuindo para a saúde pública, a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento socioeconômico”. Com informações da Caesb