Almir Pernambuquinho  Sport Club Recife - Início da Carreira


Nascimento: 28 de outubro de 1937.              


Resumo Histórico da Carreira do Jogador: Iniciou sua carreira no Sport Club Recife em 1956 e logo em seguida transferiu-se para o Vasco da Gama, para se juntar a outros conterrâneos, como o Atacante Vavá. Era um jogador diferenciado, tinha grande capacidade de decidir partidas em lances de rara genialidade. Pela forma como se empenhava em campo, era um verdadeiro guerreiro. Ganhador de vários títulos, passou por clubes do Brasil e do exterior. Embora fosse muito talentoso tecnicamente, teve uma carreira conturbada. Tido como encrenqueiro, era do tipo pavio-curto, não levava desaforos para casa e envolvia-se facilmente em brigas dentro e fora das quatro linhas. Brigava praticamente sozinho contra um time inteiro; teve a coragem de assumir publicamente suas confusões em um polêmico livro de sua autoria. Almir protagonizou algumas das maiores confusões na sua época. Envolveu-se em diversas brigas, normalmente provocadas por ele mesmo. As mais famosas foram:

  1. Copa Sul Americana de 1959: o jogo era válido pelo Campeonato Sul Americano ocorrido na Argentina. A partida aconteceu no Estádio Monumental de Nuñes e o Brasil venceu o Uruguai de virada. A Seleção Canarinho perdia de 1 X O quando o Técnico Vicente Feola colocou em campo o jogador Paulinho Valentim, que fez três gols e o Brasil venceu por 3 X 1. Os jogadores Uruguaios, inconformados com a derrota, envolveram-se em uma briga generalizada com os brasileiros, uma verdadeira batalha campal, com a participação de mais de 50 pessoas: jogadores, dentre eles Almir. Comissão Técnica e Dirigentes das duas seleções trocaram tapas, socos, voadoras e pontapés. Até o ex-craque Leônidas da Silva, que comentava o jogo por uma radio brasileira, entrou no gramado tentando apartar a briga.


  1. Decisão do Campeonato Carioca Flamengo e Bangu em 1966: naquele ano, Almir Pernambuquinho atuava pelo Flamengo e aos 26 minutos do 2º tempo o Bangu vencia por 3 X 0. Almir, tentando livrar o time rubro-negro de uma histórica goleada, que já estava se desenhando, e também evitar que os banguenses dessem a Volta Olímpica, forma de comemoração tradicional feita pelos times campeões, partiu para cima dos seus adversários e o Bangu, Campeão Carioca de 1966, não deu a famosa Volta Olímpica.


Decisão em 1966 – Flamengo X Bangu

                                                  


           

Participação em Clubes e Seleção Brasileira:

Sport

Vasco 

Corinthians

Boca Juniors

Fiorentina

C:\Users\Casa\Desktop\sport65.png

C:\Users\Casa\Desktop\vasco_60x60.png

C:\Users\Casa\Desktop\corinthians_60x60.png

C:\Users\Casa\Desktop\Boca_Juniors_2012.svg.png

C:\Users\Casa\Desktop\120px-ACF_Fiorentina.svg.png

Pernambuco

Rio de Janeiro

São Paulo

Argentina

Espanha

1956

1957 a 1960

1960 a 1961

1961 a 1962

1962

Genoa

Santos

Flamengo

América

Seleção

C:\Users\Casa\Desktop\genoa_65x65.png

C:\Users\Casa\Desktop\santos_60x60.png

C:\Users\Casa\Desktop\flamengo_60x60.png

C:\Users\Casa\Desktop\America_FC.svg.png

C:\Users\Casa\Desktop\150px-CBD.png

Espanha

São Paulo

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Brasil

1962 a 1963

1963 a 1964

1965 a 1967

1967 a 1968

1959 a 1960



Principais Títulos:

Clube

Competição

Ano

C:\Users\Casa\Desktop\sport65.png 

Sport

Campeonato Pernambucano. 

1956

C:\Users\Casa\Desktop\vasco_60x60.png

Vasco

Troféu Tereza Herrera - Espanha

1957

Torneio Rio-São Paulo

1958

Campeonato Carioca

1958

C:\Users\Casa\Desktop\santos_60x60.png 

Santos

Taça Libertadores

1963

Copa Intercontinental

1963

Campeonato Brasileiro Série A

1963 e 1964

Campeonato Paulista

1964

C:\Users\Casa\Desktop\flamengo_60x60.png

 Flamengo

Campeonato Carioca

1965

                                                                  

Curiosidades:

1. Recusou uma convocação feita pelo Técnico Vicente Feola, para treinamentos visando a Copa de 1958. A recusa causou um grande mal estar na Confederação Brasileira de Futebol (CBD). Em consequência, não foi convocado para integrar a Seleção Brasileira. Preferiu excursionar com o Vasco pela Europa. Voltou a ser convocado somente após a Copa.

2. Jogou pela Seleção Brasileira de 1959 a 1960.

3. Quando foi transferido do Vasco da Gama para o Corinthians, foi considerado na terra da garoa o “Pelé Branco.”

4. Tinha um amor incondicional pelo Bairro de Copacabana, local onde morava quando jogava em clubes do Rio de Janeiro. Certa vez, foi questionado pelo rigoroso técnico Yustrich, na época no Vasco, em função de constantes atrasos: “Por que não morar perto de São Januário?” Almir respondeu que não se mudaria. Yustrich falou: “Você escolhe ou Copacabana ou Vasco”. Almir respondeu Copacabana e o assunto morreu ali.

5. Encerrou a carreira de jogador Profissional no América F.C. do Rio de Janeiro em 1968.


Morte: Morreu assassinado em 06 de fevereiro de 1973, numa briga, aos 35 anos, fato ocorrido no Bar-Jerez, em frente à galeria Alaska em Copacabana. Segundo testemunhas, o ex-jogador de futebol, ao ver que alguns bailarinos-atores do Grupo Dzi Croquettes, ainda maquiados, estavam sendo achincalhados por alguns portugueses, interveio em defesa dos artistas. Houve uma forte discussão, seguida de um tiroteio no Calçadão de Copacabana, que terminou com Almir Pernambuquinho morto com uma bala na cabeça. O suposto assassino, Artur Garcia Soares, alegou legítima defesa e nunca foi preso ou condenado.


Coluna do Vidal