Um projeto de Lei com proposta de autoria do deputado João Cardoso tem objetivo de aumentar os estoques de sangue do Hemocentro de Brasília, além de incentivar ainda mais a cultura da doação de sangue e medula óssea no Distrito Federal.

Buscando assegurar regularidade ao estoque de sangue da Fundação Hemocentro de Brasília, a Câmara Legislativa rejeitou na tarde desta quinta-feira, 17/09, o veto do Governador ao Projeto de Lei nº 436/2019, de autoria do deputado João Cardoso (Avante), que cria o serviço de coleta itinerante de sangue no Distrito Federal, o qual deverá funcionar com agenda de coleta previamente programada, podendo atender a chamadas oriundas de residências, empresas públicas ou privadas, órgãos públicos, além de outras localidades em que for solicitado.

O serviço contará com veículos utilitários devidamente adaptados, contendo os equipamentos necessários, além de profissionais capacitados para efetuar a coleta. O serviço será implantado e gerido pelo Hemocentro, que, para o seu bom funcionamento, deverá disponibilizar números telefônicos e profissionais qualificados para atendimento exclusivo às chamadas oriundas de doadores, além de endereço na rede mundial de computadores e contatos nas redes sociais.

Por meio do serviço será realizado o cadastramento de doadores de órgãos, tecidos e medula óssea, cuja finalidade é atender e suprir as necessidades da população do Distrito Federal e Região do Entorno.

O autor da proposta afirma que não vislumbra apenas o momento crítico gerado pelo novo Coronavírus, mas o futuro, pós pandemia, tendo em vista as dificuldades encontrada pelo Hemocentro para manter um estoque de sangue que possibilite o atendimento adequado das pessoas que necessitam do insumo. "Volta e meia nos deparamos com notícias dando conta do baixo estoque de sangue na Fundação Hemocentro de Brasília, fato que leva os meios de comunicação a convidar os possíveis doadores a comparecerem aos locais de coleta para fazer a doação, pois, como bem sabemos, o sangue é um produto extremamente importante para a garantia da vida de muitas pessoas hospitalizadas nos estabelecimentos de saúde do Distrito Federal", acrescenta o Parlamentar.

A coleta itinerante irá até o doador com toda a estrutura necessária, uma vez que, segundo Cardoso, as pessoas nem sempre dispõem de tempo livre para doar sangue, tendo em vista seus compromissos profissionais, escolares ou mesmo domésticos, fato que nos levou a propor esta alternativa, a qual proporciona um meio mais adequado para se fazer a coleta.

O estoque do Hemocentro de Brasília abastece todos os hospitais públicos do DF e algumas unidades conveniadas, como o Hospital das Forças Armadas (HFA), o Hospital Universitário de Brasília (HUB), o Hospital Sarah Kubitschek e o Instituto de Cardiologia (ICDF). O monitoramento das reservas é feito diariamente. No último dia 31 de agosto, o estoque do hemocentro registrava baixa em todos os tipos sanguíneos, principalmente dos tipos A+, A-, B+ e B-.

O projeto será agora promulgado e transformado em lei.

https://ci4.googleusercontent.com/proxy/qYa6_H461C21RR-qYIwSBcI7qqS9WSiFAN0DaF9sKsbdOZ5S3C-vrr7s_W7pzqFo7qGPHn6zXYPCgzf3sLpi6Csr9HA9gNV6rWRnwUrSjrNGKy8ubI-d=s0-d-e1-ft#https://ssl.gstatic.com/docs/doclist/images/icon_10_generic_list.png WhatsApp Video 2020-09-17 at 18.06.51.mp4


Ana Helena Araújo

Assessora de Comunicação

Dep. João Cardoso - Professor e Auditor

Gabinete 6 (2º andar) - Câmara Legislativa do DF

(61) 99197-7056 / 3348-8060 

www.joaocardoso.com.br