Alexandre Baldy, durante coletiva de imprensa sobre anúncio de medidas de combate ao Coronavírus,
Foto: Roberto Casimiro/FotoArena / Estadão

Alexandre Baldy é um dos investigados da operação que apura suspeita de fraudes na saúde.

Policiais federais cumprem nesta quinta-feira, 6, seis mandados de prisão e onze de busca e apreensão no Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e Distrito Federal. Alexandre Baldy, secretário estadual de Transportes Metropolitanos de São Paulo, foi um dos alvos e está preso por suspeita de fraudes na Saúde.
O secretário, que é deputado federal licenciado pelo PP de Goiás e ex-ministro das Cidades de Michel Temer, é suspeito por crimes suspeitos antes de assumir o cargo no governo João Doria.

Além de Baldy, os alvos são empresários e agentes públicos suspeitos de fazer contratações irregulares para serviços públicos. Os mandados da operação Dardanários estão sendo cumpridos nas cidades de Petrópolis (RJ), Goiânia, Brasília, São Paulo e São José do Rio Preto (SP). A investigação é um desdobramento das operações Fatura Exposta, Calicute e SOS, que tiveram o ex-governador Sérgio Cabral e gestores de seu governo (2007 a 2014) como investigados. Os investigados responderão pelos crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, e após procedimentos de praxe, serão encaminhados ao sistema prisional e ficarão à disposição da justiça. Os mandados judiciais, expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, estão sendo cumpridos pela Delegacia de Repressão a Corrupção e Combate a Crimes Financeiros (Delecor), com apoio do Ministério Público Federal (MPF).  Com informações da Agência Brasil