A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por meio da DICOT - Divisão de Repressão aos Crimes contra a Ordem Tributária da CECOR, com apoio com o apoio do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, por meio da PDOT - Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Tributária, e da Subsecretaria da Receita do Distrito Federal, deflagrou na manhã desta sexta-feira (28), a 2ª Fase da OPERAÇÃO MAKHFI, visando o cumprimento de 10 (dez) mandados de busca e apreensão em várias cidades do Distrito Federal.

As medidas deflagradas nesta data visam colher elementos de informação com vistas a aprofundar as investigações, visando comprovar o envolvimento dessas outras pessoas no esquema criminoso, principalmente com relação a atos de lavagem de dinheiro praticados pelo grupo por meio de empresas de variados ramos e de transações de imóveis e carros de luxo, além de localizar bens ocultados com vistas a saldar o passivo tributário das empresas investigadas que ultrapassa o valor de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais).

A atuação conjunta da Polícia Civil, Ministério Público e Receita Distrital tem como fim a completa elucidação dos fatos e a interrupção da atividade criminosa, com a consequente descapitalização do grupo criminoso e reparação do prejuízo ao Erário.

Participam da ação cerca de 50 policiais civis da CECOR, da DCPI - Divisão de Capturas e Polícia Interestadual e do Instituto de Criminalística, bem como auditores fiscais da Receita Distrital. As buscas estão ocorrendo nas cidades de Ceilândia, Park Way, Águas Claras, Vicente Pires, SIA, Taguatinga e Ceilândia, em residências e duas empresas, sendo uma delas uma revenda de carros de luxo. Até o momento já foram apreendidos veículos, quantias em dinheiro e duas armas de fogo.

A primeira fase da operação foi deflagrada no dia 16.07.20, oportunidade que foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão, em residências e empresa do ramo e material esportivo situadas no Distrito Federal.

O inquérito policial que originou a primeira fase da operação foi relatado com o indiciamento dos investigados nos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Entretanto, a análise do material apreendido fez emergir o envolvimento de outros indivíduos, razão pela qual foi instaurado novo inquérito policial visando elucidar completamente a participação destes no grupo criminoso, bem como a prática de outros crimes.

*Makhfi é uma palavra árabe que significa 'escondido, oculto'.

Assessoria de Comunicação/DGPC
#PCDFemAção
PCDF, excelência na investigação