No entendimento do deputado Delmasso, a falta de acesso ao sistema de saúde é uma das causas de milhares de mortes evitáveis.

E o projeto de lei nº 1297/2020 de autoria do vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Delmasso do (Republicanos-DF), estabelece as diretrizes para a prevenção e redução da mortalidade materno, infantil e fetal durante o período da pandemia do COVID-19, no do Distrito Federal.

De acordo com o deputado, no período de 1996 a 2018, o Brasil registrou 39 mil óbitos maternos, 92% deles por causas consideradas evitáveis, de acordo com o Ministério da Saúde. A maioria das mortes maternas é evitável, pois as soluções de cuidados de saúde para prevenir ou administrar complicações são bem conhecidas.

Essa proposta de Delmasso prevê medidas para sensibilizar a comunidade sobre a gravidade das mortes maternas e infantis, suas causas e efeitos sociais e de saúde e as formas de evitá-las. Recomendar ações adequadas ao período da pandemia no que trata do parto e puerpério, como: busca ativa, cadastramento e atendimento domiciliar de gestantes, para o devido acompanhamento do pré-natal.

O projeto estabelece que seja assegurado o direito das gestantes e parturientes à assistência baseada em boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento, com atendimento centrado na mulher e na família e redução da ocorrência de cesarianas desnecessárias.

O deputado Delmasso lembra que em tempos de pandemia, é importante redobrar os cuidados com a saúde em todos os sentidos. É necessário assegurar a continuidade da atenção às gestantes e o acompanhamento do pré-natal. Além do atendimento nos serviços de saúde, é necessário garantir o atendimento domiciliar através das visitas das equipes, bem como a atualização dos cadastros de novas gestantes.

A saúde materna e do recém-nascido estão intimamente ligadas. A falta de acesso ao sistema de saúde é uma das causas de milhares de mortes evitáveis, entre elas a materna e entram para essas estatística mulheres que perdem sua vida durante a gestação ou nos 42 dias após darem à luz.

“A adoção de políticas públicas é fundamental! Pois só assim, podemos reduzir a mortalidade materna infantil que causa impactos enormes para a família”. Afirmo o deputado Delmasso. Com informações da Assessoria do Deputado.