Enquanto outras partes do corpo da vítima estavam intactas, o crânio não tinha qualquer resquício de tecido, sangue ou cabelos.

O corpo de uma mulher ainda não identificada foi localizado nesta terça-feira (18/8) em um matagal no Parque Leão, no Recanto das Emas. Apesar de outras partes do cadáver ainda apresentarem rigidez e tecidos intactos, o crânio estava completamente sem pele ou traços de sangue, como se os tecidos e o couro cabeludo tivessem sido removidos de forma cirúrgica.

Investigadores foram até ao local para tentar colher mais informações. Segundo o delegado-chefe da 27ª, Pablo Aguiar, as investigações estão no início e não é possível, neste momento, nem afirmar que se trata de uma morte violenta. “Vamos começar identificando a vítima e com a ajuda da perícia tentar elucidar a causa da morte. Como o corpo estava em campo aberto, pode ter havido a decomposição dessa forma”, resumiu.

O local onde o corpo foi localizado foi alvo de perícia do Instituto de Criminalística (IC), e o cadáver recolhido em seguida pelo Instituto Médico Legal (IML), onde passará por necropsia.

Fonte do site https://www.metropoles.com.