Conclusão é da PCGO. Corpo segue para o Instituto Médico Legal (IML), onde será apontada a causa da morte de Lázaro Rosa Franco

 Nas vésperas de completar dois meses de desaparecimento, a história de Lázaro Rosa Franco, de 29 anos, servidor do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), teve um final infeliz.

Após três dias de investigações, a Polícia Civil de Goiás (PCGO) confirmou, nesta sexta-feira (28/8), que o corpo encontrado já em estado de decomposição em Valparaíso de Goiás, na última segunda-feira (24/8), é o do servidor.

Devido ao avançado estado de decomposição, o corpo foi identificado por impressão digital, após três dias de tentativas, por meio da técnica de identificação chamada látex.

O papiloscopista policial responsável pela identificação foi Bruno Soares, do Instituto de Identificação da Polícia Civil de Goiás. Agora, o corpo será levado para o Instituto Médico Legal (IML), para que seja indicada a causa da morte.

1