Confira neste boletim:

Após análise dos recursos das prefeituras, o número de regiões em bandeira vermelha no Rio Grande do Sul baixou de 12 para seis. O governador Eduardo Leite se mostrou otimista com os dados e afirmou que, se houver estabilização, pode-se discutir novos protocolos para abertura de atividades. 

Embora tenha apresentado queda no ritmo de infecções por coronavírus na última semana, o Estado registrou alta no número de mortes diárias. Na média, foram quase 60 óbitos por dia entre 28 de julho e 3 de agosto. 
No entanto, as mais esperadas doses da vacina experimental chinesa contra covid-19 chegaram ao Hospital São Lucas da PUCRS.

No mapa definitivo do distanciamento controlado, divulgado hoje, o Rio Grande do Sul tem seis regiões na bandeira vermelha, considerada de alto risco: Lajeado, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre e Passo Fundo.
Na classificação preliminar, anunciada na sexta-feira (31), 12 regiões estavam nessa situação. Com a análise de recursos, Palmeira das Missões, Caxias do Sul, Pelotas, Bagé, Santo Ângelo e Santa Rosa foram para a bandeira laranja.
— Entramos em agosto com melhor expectativa com os indicadores do Estado — disse Eduardo Leite em transmissão ao vivo para apresentar os dados.
— Se houver estabilização, podemos discutir protocolos para bandeira vermelha que permitam funcionamento de atividades comerciais que estão restritas — completou Com informações do https://gauchazh.clicrbs.com.br/