Um novo estudo mostrou que um medicamento barato pra asma pode ser eficaz e ter resposta rápida contra o Alzheimer.

A informação foi publicada na Medicalxpress numa pesquisa da Universidade de Lancaster, na Inglaterra.

A pesquisa, feita inicialmente em ratos, mostra que o remédio é eficaz na redução do acúmulo de fibras insolúveis da proteína tau, encontrada no cérebro de pessoas com a doença.

Essas fibras microscópicas se acumulam em emaranhados neurofibrilares e podem causar desestabilização dos neurônios e morte de células cerebrais, característica da progressão da doença.

Salbutamol

O estudo descobriu quatro drogas atuais como possíveis candidatas para prevenir a formação de fibrilas tau.

Por ser facilmente ingerido, absorvido pelo cérebro e permanecer no corpo por várias horas, o salbutamol foi a droga que mostrou mais potencial para um novo tratamento contra o Alzheimer.

“O salbutamol já passou por extensas revisões de segurança e, se pesquisas posteriores revelarem uma capacidade de impedir a progressão da doença de Alzheimer em modelos celulares e animais, esse medicamento poderá oferecer um passo adiante, reduzindo drasticamente o custo e o tempo associados ao desenvolvimento típico de medicamentos”, disse David Townsend, principal autor da pesquisa.

Os pesquisadores dizem que os inaladores atuais de asma resultam em apenas uma pequena quantidade de salbutamol atingindo o cérebro e, portanto, se outras pesquisas forem bem-sucedidas, também será necessário desenvolver um novo método de administração.

Futuro

Animados, porém cautelosos, os cientistas dizem que as pesquisas estão apenas começando.

“Este trabalho está nos estágios iniciais e estamos longe de saber se o salbutamol será ou não eficaz no tratamento da pessoas com Alzheimer. Nossos resultados justificam mais testes de salbutamol e drogas similares em animais e eventualmente, se bem-sucedidos, em ensaios clínicos”, disse David Middleton, co-autor da pesquisa.

Com informações do MedicalXpress e Extra/https://www.sonoticiaboa.com.br/