Um famoso youtuber brasiliense, especializado em automobilismo e com milhares de seguidores em seu canal, resolveu sequestrar seu amigo, também aficionado por automóveis. Gozando da intimidade da família, passou a levantar informações a respeito do patrimônio do amigo e de sua mãe, ambos empresários e residentes no Lago Sul.

A família anunciou a venda de um lote localizado no Lago Sul e o youtuber deu início a execução de seu plano, tendo convidado um amigo com conhecimentos na área de tecnologia para tomar a frente do sequestro, contando com o auxílio de dois indivíduos contratados a preço fixo para auxiliar na abordagem e vigiar o cativeiro. O plano consistia em sequestrar a mãe, o filho, ou ambos, forçando um deles a efetuar o pagamento do resgate para libertação do outro. O youtuber, por conhecer as vítimas, atuaria somente nos bastidores, coordenando a ação. O comparsa, passando-se por um corretor de imóveis, ligou para a senhora e combinou um encontro para conhecer o lote, sendo que agendaram um encontro no dia seguinte, dia 3 de julho.

No horário combinado, a mãe e seu filho chegaram ao lote e no local já os aguardava o falso corretor, o qual rendeu a ambos com o uso de uma pistola e levou o jovem ao veículo, onde os dois comparsas aguardavam. Ao ser amarrado, o jovem reagiu e tentou fugir, tendo o sequestrador nesse momento decidido levar também sua mãe ao cativeiro.Com ambas as vítimas rendidas no interior do veículo pelos dois sequestradores, o falso corretor dirigiu até o cativeiro, sendo que no caminho deixou os pertences das vítimas em um local determinado para que o youtuber apanhasse. Já no cativeiro, um barraco localizado em um lote irregular na área rural de São Sebastião, as vítimas foram separadas e entrevistadas exaustivamente durante todo o dia a respeito da capacidade financeira da família, visto que uma delas seria libertada para providenciar o pagamento do resgate da outra.

Restou apurado que o patrimônio estava imobilizado em imóveis e não haveria disponibilidade de altos valores em um curto espaço de tempo (previam um sequestro de dois dias no máximo e não queriam pouco dinheiro). Dessa forma, o youtuber e seu amigo decidiram libertar as vítimas por volta das 23h, dizendo que ligariam posteriormente para cobrar uma certa quantia em dinheiro, o que não ocorreu.Com muito medo, as vítimas decidiram que não iriam registrar a ocorrência e deixariam o país definitivamente, mas foram levadas à Divisão de Repressão a Sequestros (DRS) por um amigo, onde, em conversa com os negociadores, perceberam o nível de profissionalismo da equipe e o sucesso na investigação de todos os crimes de sequestro no DF, decidindo colaborar com a investigação.

Iniciada a investigação, os policiais perceberam o alto nível dos conhecimentos técnicos dos autores, mas um pequeno detalhe levou possibilitou a identificação de um dos autores (indivíduo com conhecimentos técnicos), tendo ele sido preso na terça-feira passada, sendo que na quinta-feira o youtuber e um dos sequestradores contratados a preço fixo foram presos.Os dois envolvidos, acusados de sequestro, foram enfáticos em incriminar o youtuber, o qual nega a participação, mesmo confrontado com robustas provas de seu envolvimento. O quarto elemento foi identificado e será preso em breve. O empresário relatou que dois dias após a sua libertação, o youtuber o visitou em sua residência, e ele, apesar de orientado pela polícia para manter o sigilo do ocorrido, comentou o fato com seu amigo em virtude de ter extrema confiança no mesmo. O crime de extorsão mediante sequestro, com pena de 12 a 20 anos de reclusão, é consumido mesmo sem o pagamento do resgate, basta a restrição da liberdade da vítima. O nome da operação remete a um quadro de humor da década de 80.

Assessoria de Comunicação/DGPC
#PCDFemAção
PCDF, excelência na investigação