Profissionais do HRL são capacitados para atendimento em AVC – Secretaria de Saúde do Distrito Federal

A unidade de emergência será uma das referências da doença no Distrito Federal

ÉRIKA BRAGANÇA, DA AGÊNCIA SAÚDE

imagem26-06-2020-14-06-58
imagem26-06-2020-14-06-58

Novo tomógrafo do HRL – Fotos: Divulgação/Secretaria de Saúde

Profissionais da emergência do Hospital da Região Leste serão capacitados para atendimento aos pacientes que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC). O treinamento acontecerá em três etapas e capacitará 173 servidores que fazem parte da equipe multidisciplinar do pronto-socorro. Com isso, a unidade será uma das referências em atendimento a esses casos no Distrito Federal. O curso tem o objetivo de alinhar o fluxo de atendimento desde a emergência até o momento da alta hospitalar.

O secretário de Saúde, Francisco Araújo, afirma que investir em capacitação dos profissionais de saúde é uma determinação do governador Ibaneis Rocha para melhorar e humanizar o atendimento dos pacientes atendidos na rede pública. “Temos feito vários investimentos em cursos e treinamento dos servidores com o objetivo de alcançarmos uma excelência no atendimento de uma saúde que encontramos em situação deplorável”, acrescentou Araújo.


imagem26-06-2020-14-06-00
imagem26-06-2020-14-06-00
A capacitação está sendo realizada on-line, por plataforma gratuita, e os participantes terão certificado feito em parceria com o núcleo de educação de profissionais da saúde do Samu. A linha de cuidado do AVC foi atualizada e faz parte do Plano de Ação Regional da Rede de Atenção às Urgências e Emergências do Distrito Federal. Adriana Barros Areal, médica neurologista e Referência Técnica Distrital em Neurologia, assegura que o mais importante desse processo foi a articulação entre a gestão e a assistência de modo a oferecer uma solução alternativa rápida para a população.

 

“Com a pandemia, tivemos que redirecionar alguns fluxos de assistência para dar um suporte para a Região Central, que tem o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) como referência de Covid-19. Com a reestruturação do HRL, o DF terá uma unidade ampliada para atender o paciente que sofre de AVC e precisa ser internado. A Linha de Cuidado do AVC necessita da articulação de vários elos – desde o atendimento emergencial, internação, alta e reabilitação.

A equipe do Hospital da Região Leste mostrou-se aberta para estruturação da unidade visando esse trabalho de referência. A unidade recebeu novos neurologistas, bem como a instalação de um novo tomógrafo. A capacitação vem para unificar as ações e alinhar os protocolos com a equipe”, ressaltou Areal.

REFERÊNCIA – Para ser referência, além do curso de capacitação, a unidade deve ter profissionais especialistas de neurologia na emergência e equipamento adequado. Com isso, a unidade terá um salto na qualidade do atendimento. Juliana Leão, gerente de Apoio aos Serviços Fixos de Urgência e Emergência, destacou a pactuação como mais um passo na execução do Plano de Ação Regional da Rede de Atenção às Urgências e Emergências do Distrito Federal (RUE).

Segundo a profissional, a nova realidade, vivida com a pandemia, não tem impedido as áreas técnicas de realizarem seus momentos de aprendizagem. Pelo contrário, tem contribuído para o desenvolvimento de novas pactuações e linhas de cuidados. A profissional ressaltou que o papel da área é ser o grupo condutor das políticas de urgência e emergência. “Temos o papel fundamental de implantar várias linhas de cuidados da emergência e uma delas é o AVC. Desenvolvemos o material que auxiliará os gestores e profissionais da ponta a seguir o trabalho de forma unificada”, destacou.

ATENDIMENTO – Caso a população tenha algum sintoma relacionado ao AVC, deve-se chamar o Samu que é especializado em atender a esse tipo de demanda. Todo o trabalho é feito para diminuir o tempo de assistência e, assim evitar a piora do paciente e possíveis sequelas. É ele que também regula o paciente para as unidades. Cláudia Mitiê, gerente de emergência do HRL, pontua toda a cadeia envolvida no atendimento que engloba a equipe multiprofissional na emergência. A profissional destaca o diferencial em ser referência na área. Para isso, a unidade recebeu servidores especialistas da área de neurologia e um novo tomógrafo para exames de imagem. Os profissionais também serão capacitados para uso do aparelho.

“No atendimento ao paciente vítima de AVC, o tempo é essencial e cada profissional deve estar apto a saber o que fazer em cada etapa do atendimento. As palestrantes, médicas neurologistas Adriana Barros e Letícia Rebello, mostraram tanto a parte teórica sobre o AVC como a parte prática do fluxo de atendimento. Mostrou que o sucesso nesse processo não é determinado só pelo médico. Também participam dessa cadeia de emergência outros profissionais de saúde – técnicos de enfermagem, enfermeiros, fisioterapeutas e fonoaudiólogos.

Todos passarão pela capacitação porque precisamos ter uniformidade de atendimento e protocolo, inclusive os médicos residentes. Tudo para dar uma melhor resposta e um atendimento de qualidade a esse paciente”, ressaltou Mitiê. Com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal