Público interessado tem até hoje (26) para se inscrever e participar; evento será em 6 de julho

 

O público interessado no Museu Histórico e Artístico de Planaltina (MHAP) tem até hoje (26) para se inscrever por e-mail para a apresentação pública, em videoconferência, do plano museológico que a Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) contratou para o equipamento da Região Administrativa (VI) da mais antiga cidade do Distrito Federal. A sessão virtual está programada para 6 de julho às 14h.

 

O Museu, que fica no setor tradicional da cidade, foi moradia de pioneiros da ocupação do Planalto Central. Os Monteiro Guimarães, que doaram o imóvel ao poder público, têm presença registrada na região desde 1736, mais de um século antes de Planaltina se tornar distrito, ponto de tropeiros que transportavam ouro do sertão para sustentar o metalismo de Portugal.

 

O típico casarão colonial de paredes brancas, janelas azuis, teto com várias águas e portas e janelas em simétrico ritmo nas fachadas funciona como espaço de registro da história local desde 1974, tendo sido tombado em 1982 pelo Governo do Distrito Federal (GDF).

 

“Foi um tombamento em conjunto, envolvendo o edifício e todo o acervo interno, basicamente de mobiliário histórico”, explica a responsável pelo desenvolvimento do Plano, museóloga Rondelly Soares Cavulla. Depois disso, o MHAP recebeu doações. Ela explica que esse acervo ganha condições de ser inventariado a partir da aprovação do texto.

 

“A cidade de Planaltina terá em mãos um importante documento estratégico que permitirá que a gestão de seu museu se dê dentro de princípios técnicos e organizacionais de primeira linha”, afiança o subsecretário do Patrimônio Cultural (Supac), Demétrio Carneiro.

 

O Plano contempla vários programas – institucional, de acervos e exposições, educativo-cultural, de acessibilidade universal, de financiamento e fomento, arquitetônico-urbanístico, de pesquisa, entre outros –, cada um dos quais se desdobra em projetos para os próximos cinco anos.

 

“O documento leva em conta demandas e prioridades da comunidade e foca suas ações nesse diagnóstico”, explica Rondelly. Ela destaca a participação da sociedade civil local na organização de eventos culturais que, antes da pandemia, animavam as paredes centenárias do prédio por meio de exposições e saraus entre outras ações.

 

O Plano Museológico, segundo o texto introdutório do documento, é um planejamento estratégico, previsto no Estatuto de Museus. Sua elaboração começou em novembro de 2019, com minicurso dado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que capacitou agentes da comunidade a avaliar a proposta museal que ficou pronta em março passado.

 

Além do público interessado, vão participar da videoconferência representantes do Ministério Público do DF e da Administração Regional de Planaltina, além de membros do próprio Ibram, da Supac e de funcionários do MHAP.

 

(foto do carrossel de Rondelly Cavulla)

 

Serviço
Apresentação do Plano Museológico do Museu Histórico e Artístico de Planaltina em 6 de julho
E-mail para participar (inscrição até hoje, 26/6): museuplanaltina@gmail.com.
Interessados devem informar na mensagem o nome, e-mail, telefone e instituição (se for o caso). Após a confirmação da inscrição, será enviada uma resposta com orientações de participação na videoconferência e resumo do Plano para leitura prévia.