Imunizante já está armazenado na Rede de Frio Central e será distribuído para os pontos de vacinação nos próximos dias.

O Distrito Federal já tem um terceiro tipo de imunizante para a população: a vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer, produzida em parceria com o laboratório alemão BioNTech. Foram recebidas, na Rede de Frio Central, na noite desta terça-feira (3), 5.850 doses produzidas na Bélgica, que foram conferidas e armazenadas em ultracongelador a uma temperatura de -75°C.

“Mantemos as vacinas armazenadas, conforme recomendação técnica do fabricante, para que elas cheguem aos pontos de vacinação aptas para uso dentro do período indicado”, explica a chefe da Rede de Frio Central, Tereza Luiza.

As equipes de vacinação foram capacitadas para manusear e preparar o imunobiológico | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Para aplicação do imunizante, as equipes que atuam diretamente na vacinação foram capacitadas para manusear e preparar o imunobiológico. Diferentemente das demais vacinas aplicadas no Brasil, as da Pfizer/BioNTech possuem características distintas muito além de sua conservação sob baixíssimas temperaturas. Os frascos contém um pó liofilizado congelado que precisa ser diluído em uma solução líquida. Esse processo será feito diretamente nos pontos de vacinação que irão receber essas vacinas.

Os frascos contêm um pó liofilizado congelado que precisa ser diluído em uma solução líquida. Esse processo será feito diretamente nos pontos de vacinação que irão receber essas vacinas.

Após a diluição, os imunobiológicos devem ser utilizados por um período de no máximo 6 horas em temperatura de 2°C a 8°C.

Outra característica está em cada dose a ser aplicada. Enquanto uma dose das vacinas CoronaVac e AstraZeneca possui 0,5 ml, as da Pfizer/BionTech têm 0,3 ml. Para aspirar as doses, 22 mil seringas específicas foram enviadas pelo Ministério da Saúde. Habitualmente, usa-se o material com capacidade de 3 ml e, para essa vacina, a seringa tem 1 ml e é bem mais fina.

O frasco da vacina possui seis doses. Da CoronaVac são 10 doses e da AstraZeneca/Fiocruz são 5 doses.

O prazo recomendado de aplicação entre as doses é de 12 semanas | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Intervalo entre as doses

De acordo com os estudos da Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, para a vacina Pfizer/BionTech, recomenda-se o prazo de aplicação entre as doses de 12 semanas, semelhante ao imunizante de Oxford. Essa recomendação está prevista no 15ª informe técnico do MS.

As vacinas serão distribuídas nos próximos dias para os pontos de vacinação.

Com informações da Secretaria de Saúde, site: https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2021/05/03/df-recebe-58-mil-doses-da-vacina-pfizer-biontech/